Saúde mental: você importa!

saúde mental

Como você cuida da sua saúde mental?

Muito se fala sobre cuidados com a saúde física: academia, caminhadas, treinos e uma boa alimentação.


Mas, importante também é cuidar da nossa saúde mental.

Por isso, o Setembro Amarelo é um movimento mundial que vai na contramão e serve para conscientização sobre os cuidados com a saúde mental e prevenção ao suicídio.

Um tema delicado, considerado por muitos um tabu, mas que merece total atenção por ser, sim, uma questão de saúde pública.


Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), nove em cada 10 casos de suicídio poderiam ser evitados se a pessoa contasse com a ajuda e atenção de pessoas próximas a ela.

E essa proximidade também está no local de trabalho e na forma como nos relacionamos com nossos colegas.

Um dado alarmante e que serve para questionarmos e repensarmos nossas próprias atitudes.


Também serve para discutirmos como a nossa rotina, nosso trabalho e nossas relações podem influenciar na nossa saúde mental.

Confira neste artigo alguns mitos sobre o suicídio e maneiras para ajudar alguém que está passando por dificuldades.

Boa leitura!


Os mitos do suicídio

saúde mental - mitos suícidio

  1. Quem fala, não faz: este é, talvez, um dos mitos que mais atrapalham na hora de ajudar alguém. Quem faz, fala sim, e, muitas vezes, no auge do desespero. Se alguém próximo a você emite um aviso, leve a sério e fique atento.
  2. Somente pessoas depressivas cometem suicídio: não. Algumas outras reações de temperamento consideradas “normais” podem dar indícios de uma tentativa de suicídio, como um comportamento agressivo ao extremo e alto nível de impulsividade. Além disso, recomenda-se que os familiares de pessoas com crises graves de depressão fiquem atentos quando esta mesma pessoa diz estar bem e consegue se manter muito controlada. A decisão do suicídio pode ter sido tomada e a aparente normalidade é um disfarce.
  3. Ignorar o assunto é a melhor forma para não incentivar: novamente, não. Ao lidar com uma pessoa depressiva é importante manter o diálogo aberto e se mostrar disponível para ajudar. Assim, a pessoa se sente amparada e cuidada. Existem muitas maneiras de falar sobre o ato sem promovê-lo.

Suicídio x Saúde Pública

Segundo dados brasileiros, a cada 45 minutos um brasileiro comete suicídio.

São 32 pessoas mortas por dia e as tentativas que não acabam em morte são no mínimo o triplo deste número.

No mundo, a cada 40 segundos uma pessoa tira a sua própria vida.

Estes números chocam, pois é maior do que casos de morte por AIDS ou pela maioria dos tipos de câncer.

Em tempo: tratar este assunto como um tabu colabora ainda mais para que estes números aumentem.

Dentro do mundo corporativo, as empresas precisam estar atentas. Muitos profissionais passam mais tempo em seus trabalhos do que na sua própria casa.

Incentivar os cuidados com a saúde mental dos funcionários são maneiras da companhia mostrar que se preocupa e valoriza a equipe de trabalho.

Doenças como depressão, bipolaridade, transtornos de alimentação, imagem e personalidade são mais comuns do que a gente acredita.

Um exemplo é a Síndrome de Burnout que afeta profissionais que trabalham em empresas muito competitivas sob muita pressão desempenhando suas funções sem se sentirem valorizados.

Tudo isso gera crises de estresse e frustração que se acumulam e, como consequência, acabam se transformando em depressão.

Por tudo isso, é necessário um esforço coletivo e pessoas altamente engajadas para que a depressão e o suicídio sejam abordados com a população, esclarecendo dúvidas, falando sobre o assunto, estimulando e conscientizando sobre a importância de cada um na redução dessas tristes taxas tanto a nível nacional quanto a nível mundial.


Sinais x Ajuda

saúde mental empatia

Ao conviver com pessoas que sofrem de depressão, você deve ficar atento a alguns sinais que podem indicar um comportamento suicida.

Potenciais suicidas são pessoas que não sentem mais prazer na vida e também não enxergam sentido nas suas próprias vidas e atividades.

Remoem o passado e sentem que não é possível ter um futuro.

Nestes casos, a empatia é peça fundamental para perceber o problema de forma rápida.

É muito importante que o departamento de Recursos Humanos dentro das organizações tenha preparo e um olhar aberto para perceber sinais em seus funcionários.

Incentivar as equipes a terem um olhar mais cuidadoso sobre o outro e a buscar por ajuda tanto para si quanto para o colega que está emitindo algum sinal é necessário.

Ações como essas, quando incentivadas pelas empresas, criam laços de confiança e compreensão entre as pessoas e podem ser fundamentais.

Algumas emoções extremas como irritabilidade, angústia, excesso de raiva, sentimentos de vingança, culpa ou vergonha também são indicativos de algum problema relacionado a saúde mental.

Comportamentos irresponsáveis como o abuso de álcool e drogas ou uma melhora súbita são sinais alarmantes e que merecem uma intervenção, pois na maioria destes casos a pessoa já aceitou que o suicídio é a sua melhor opção e o ato se torna uma questão de tempo.

Fique atento também a mudanças de hábito na rotina e dificuldade em realizar tarefas cotidianas.

Lidar com seus próprios sentimentos ou com o que outro está sentindo requer sensibilidade.

Não ignore nenhum outro fator que lhe pareça estranho ou algum tipo de comportamento que não se enquadra com o perfil da pessoa.

Alguns fatores de risco como morte de um ente querido, histórico de abuso, separações traumáticas e bullying podem servir como gatilho.

 


Mês da Prevenção

saúde mental setembro amarelo

O Setembro Amarelo é a chance que temos para divulgar e tentar resolver este problema de saúde pública.

Por isso, usar o mês de setembro para promover a campanha e divulgar formas de ajuda é mais do que uma necessidade, é uma obrigação moral.

A empresa deve se manisfestar e mostrar apoio e disponibilidade para falar sobre o assunto.

O CVV (Centro de Valorização da Vida) é uma organização não governamental que existe desde 1992 e realiza um trabalho de valorização da vida e prevenção do suicídio.

Oferece apoio emocional, ajuda especializada e conteúdo especialmente preparado para quem precisa.

O serviço é oferecido via telefone no número 188, e-mail, chat online e voip via Skype, além dos postos físicos espalhados pelo Brasil e que podem ser mapeados no site da organização. Todo este atendimento é feito de maneira sigilosa, gratuita e voluntária.


Conclusão

Discuta, converse e procure orientação. Um assunto tão delicado merece a nossa atenção e o nosso cuidado.

Movimentos como o Setembro Amarelo são cada vez mais importantes para serem trabalhadas, mas este assunto não pode ser lembrado apenas em um mês. Todos dia é dia de cuidar da sua saúde mental.

Precisamos entender o ser humano e promover a saúde e o bem-estar e o equilíbrio entre mente, corpo e coração.

 

Esteja atento aos sinais emitidos por familiares e amigos que possam indicar algum problema.

Se você está se sentindo deprimido, com dificuldades para lidar com seus sentimentos, não hesite: procure ajude.

Seja de alguém próximo ou familiar. Não deixe que a tristeza tome conta de quem você é e, muito menos, da sua vida.

Todos nós merecemos a felicidade e, por isso, a informação é fundamental para ajudarmos uns aos outros. Una-se àqueles que promovem a vida.

O endomarketing.online criou uma campanha especial para promover os cuidados com a saúde mental no ambiente corporativo.

Baixe agora mesmo e trabalhe o assunto na sua empresa, conscientizando os seus funcionários a terem um olhar sincero voltado para si e para o outro.