Eleições: hora de participar

Eleições: hora de participar

O cenário político brasileiro está ficando cada vez mais conturbado nos últimos anos e, em 2018, com as eleições, o cenário promete ser ainda mais agitado.

 

Criou-se no Brasil uma divisão entre Direita e Esquerda que até fez com que o real significado dessas correntes políticas se perdesse. Mais do que a esperança de um país melhor, dessa vez a campanha eleitoral promete ter como tema principal essa disputa que virou uma rivalidade parecida com futebol.

 

E agora, como lidar com isso? Mais uma vez, listamos uma oportunidade e dois riscos.

 

OPORTUNIDADE: a empresa pode mostrar muito sua preocupação com o futuro de todos se abrir espaço para o assunto eleições sob o enfoque do voto consciente. Levantar debates, obviamente sem levantar bandeiras de partidos ou candidatos, é uma forma corajosa de unir as equipes e aumentar o sentimento de pertencimento dos colaboradores.

 

RISCO 1: os ânimos estão acirrados e a rivalidade entre correntes políticas só cresce. Naturalmente, sua equipe tem gente com tendências políticas diferentes e é preciso estar atento para que essas diferenças não se transformem em conflitos.

 

RISCO 2: fazer campanha política dentro da empresa é absolutamente proibido, mas as grandes empresas, por concentrarem muita gente, são pontos de atração para panfletagem e carreatas. Além disso, pode haver manifestação pública a favor de alguma candidatura ou partido por parte dos sócios ou da alta diretoria das empresas. O líder precisa tomar muito cuidado para que nenhum movimento nesse sentido seja interpretado como imposição da empresa para influenciar o voto dos funcionários.

 

E aí, você está se preparando para as eleições?